+55 11 97149.5331 adrianogrineberg@gmail.com

Adriano Grineberg: Música Sem Fronteiras

Biografia

Com vinte anos de carreira, Adriano Grineberg, um dos maiores músicos de Blues do País, mescla referências como Ray Charles, BB King, Jerry Lee Lewis, Bob Marley e citações de grandes mestres da música brasileira como Pixinguinha, Luiz Gonzaga e Tim Maia. Tudo isto em uma só apresentação.

Pianista, compositor, arranjador e cantor, ele começou a estudar piano aos seis anos de idade. Formou‐se na Escola de Música de São Paulo em piano e também estudou contrabaixo acústico, com o qual participou de muitas orquestras e festivais. Influenciado por nomes como Beethoven, Dvorak, Satié, Villa Lobos, Debussy e Ravel, aos poucos foi mergulhando na pesquisa de música folclórica e étnica de diversas partes do planeta.

O Blues se transformou em uma paixão que o levou a acompanhar grandes artistas do gênero como o cantor J.J. Jackson (EUA), John Pizzarelli (EUA), Andre Christovam, Corey Harris (EUA), Big Time Sarah (EUA), James Wheller (EUA), Jimmy Burns (EUA) e a banda Blue Jeans, com a qual gravou um DVD com Magic Slim (EUA), um dos ícones do Blues de Chicago. Em 2004, Adriano Grineberg abriu alguns shows de B.B. King em São Paulo.

Ainda teve passagens pela banda Ira! (uma das maiores bandas de rock do Brasil). Ainda acompanhou e gravou ao lado de artistas da música braileira como Filipe Catto, Arnaldo Antunes, Elba Ramalho, Wanderléa, Gilberto Gil , Ana Cañas e Paralamas do Sucesso. Conquistou também a marca de 150 aparições em fichas técnicas de discos antes dos 40 anos de idade.

Artista de muitas frentes, produziu com o guitarrista Edu Gomes 10 discos de New Age, com destaque para Música para os Florais de Bach, obra reconhecida com o selo de autenticidade do Edward Bach Institute na Inglaterra.

Atualmente, além de composições próprias, Adriano Grineberg reverencia em suas apresentações as raízes da África e da música indiana. Os Mantras e Bhajans tradicionais da Índia recebem arranjos inusitados que remetem às linguagens da música brasileira pelo talento e estilo único de Adriano Grineberg.

Já o CD Blues for Africa, lançado em 2014, é como uma síntese melódica e rítmica das duas décadas de pesquisas do compositor no continente africano, origem de tantas formas de expressão no mundo. Abrange do gospel do sul da África a arte Sufi dos Tuaregues no Saara, da pulsação e alegria da música de Benin e Angola, tão presentes na cultura brasileira à introspecção dos cantos em Ioruba e Igbo na Nigéria, do Blues do Delta do Mississippi à infinidade de ritmos de New Orleans, do Reggae jamaicano aos ritmos tribais da África Central. Gravado em seis línguas (Zulu, Ioruba, Bembe, Igbo, Swahili e Inglês), reúne composições e canções tradicionais e ancestrais dos povos.

Esta mistura de influências, ligada pela linguagem do Blues e colocada em prática com toda a experiência que os anos de trabalho trouxeram, fazem de Adriano Grineberg um dos artistas mais interessantes da música brasileira.

Release - Português

Adriano Grineberg: música sem fronteiras

Com mais de vinte anos de carreira, Adriano Grineberg​ é considerado um dos maiores músicos de blues contemporâneo do Brasil. Sua música é o resultado da combinação de uma variedade de referências da música internacional como Ray Charles, Taj Mahal e Bob Marley, e de grandes mestres da música brasileira como Pixinguinha, Luiz Gonzaga e Tim Maia. Em seu trabalho reverencia também as raízes da música da África e da Índia – país este onde já viveu. Esta combinação inusitada de influências traz para a sua música uma originalidade e singularidade sem fronteiras.

Pianista de formação erudita, compositor, arranjador e cantor, no final da década de oitenta descobriu no blues uma paixão que o levou a acompanhar grandes artistas do gênero como Deacon Jones (EUA), John Pizzarelli (EUA), Andre Christovam (BRA), Corey Harris (EUA), Igor Prado (BRA), Big Time Sarah (EUA), Deitra Farr (EUA), James Wheller (EUA), Jimmy Burns (EUA) e Magic Slim (EUA) – tendo gravado com este último um CD ao lado da banda Blue Jeans (BRA). Em 2004, Adriano Grineberg abriu três vezes os shows de B.B. King em São Paulo. Seu trabalho foi reconhecido dois anos seguidos (2016 e 2017) com o Prêmio Profissionais da Música/Music pro Awards (Brasil) na categoria Melhor Artista de Rock e Blues.

No cenário da musica brasileira, teve passagem pela banda Ira! (uma das maiores bandas do rock brasileiro), tendo acompanhado e gravado com ​Filipe Catto, Arnaldo Antunes​, Elba Ramalho​, Wanderléa, Ana Cañas, Gilberto Gil e Paralamas do Sucesso.  Antes dos 40 anos de idade conquistou a marca de 150 aparições em fichas técnicas de discos.

Um artista naturalmente eclético, produziu 10 discos de New Age e World Music em parceria com o guitarrista Edu Gomes, com destaque para o álbum Música para os Florais de Bach​, obra reconhecida com o selo de autenticidade do Edward Bach Institute (Inglaterra).

Seu trabalho mais recente, Blues for Africa​, é uma síntese melódica e rítmica que resulta de duas décadas de pesquisa no continente africano. Retratando a diversidade da África em suas mais distintas faces, o trabalho abrange do gospel do sul da África à arte Sufi dos Tuaregues no Saara, da pulsação e alegria da música de Benin e Angola – tão presentes na cultura brasileira – à introspecção dos cantos em Ioruba e Igbo na Nigéria, do Blues do Delta do Mississippi à infinidade de ritmos de New Orleans, do Reggae jamaicano às danças e rituais da África Central. Gravado em seis línguas (Zulu, Ioruba, Bembe, Igbo, Swahili e Inglês), o álbum reúne composições próprias e canções tradicionais e ancestrais dos povos nativos.

Esta mistura de influências, sempre acompanhada pela linguagem do Blues, e colocada em prática com toda a experiência que os anos de trabalho trouxeram, faz de Adriano Grineberg​ um dos artistas mais interessantes da música brasileira.

Release - English

Adriano Grineberg: a musician without borders

Adriano Grineberg, whose career is over twenty years, is regarded as one of the greatest musicians of contemporary blues in Brazil. His music is the result of the combination of a variety of references of international music, like Ray Charles, Taj Mahal and Bob Marley, and of big masters of Brazilian music. His music is also influenced by the music from Africa and India (the latter, a country in which he has already lived). This unexpected combination of influences brings originality and singularity without borders to his music.

Pianist of erudite formation, composer, arranger and singer, he discovered the blues in the late eighties. It became a passion, which made him play with great artists of this music genre, like Deacon Jones (USA), John Pizzarelli (USA), Andre Christovam (Brazil), Corey Harris (USA), Igor Prado (Brazil), Big Time Sarah (USA), Deitra Farr (USA), James Wheller (USA), Jimmy Burns (USA) and Magic Slim (USA), with whom he recorded a CD together with the Blue Jeans Band (Brazil). In 2004, Adriano Grineberg opened three times the shows of B.B. King in São Paulo. His work was awarded with the Prêmio Profissionais da Música twice (Professionals of Music Prize 2016/2017)/Music pro Awards (Brasil) in the category Best Rock and Blues Musician.

In the scenario of Brazilian music, he played with the band Ira! (one of the biggest bands of Brazilian rock); he also played with – and recorded with – Filipe  Catto, Arnaldo Antunes​, Elba Ramalho​, Wanderléa​, Ana Cañas, Gilberto Gil and Paralamas do Sucesso. He appeared 150 times in records credits before he was 40 years old!

An eclectic artist, he produced ten CDs of New Age and World Music records together with the guitar player Edu Gomes – with emphasis to the album Music for the Bach Floral Remedies, which was acknowledged with the authenticity seal by the Edward Bach Institute, in England.

His latest CD – Blues for Africa – is a melodic and rhythmical synthesis of two decades of research in the African continent. Portraying Africa and its several faces and diversity, it includes gospel from South Africa to the art of Sufi of the Tuareg people in the Sahara desert, the beat and joyfulness of the music from Benin and Angola – also present in the Brazilian Culture – to the introspection of the chant in Yoruba and Igbo in Nigeria, the Blues from the Mississippi Delta to the infinity of rhythms in New Orleans, the Jamaican Reggae to the dances and rituals of Central Africa. Recorded in six languages (Zulu, Yoruba, Bembe, Igbo, Swahili and English), it reunites his own compositions, besides traditional and ancestral songs of the native peoples.

This mixture of influences, always together with the Blues language, plus the broad experience brought by years of work, make Adriano Grineberg​ one of the most interesting artists in the Brazilian music scene.